(21) 98350-5901
augusto@gatilgugatto.com.br

Polidactilia nos Maine Coons

Maine Coon - gato gigante

Polidactilia nos Maine Coons

Polidactilia nos Maine Coons, Gatil Gugatto

Maine Coons tiveram sua origem no estado norte americano do Maine, e Maine Coons polidácteis, mais especialmente, mostram sua herança Maine visivelmente em suas patas enormes e cheias de dedos. Descendente de gatos que os marinheiros escolheram, os nossos Maine Coons polidácteis   são  um  elo genético directo à bela herança da vida familiar marítima. Polidactilia nos Maine Coons, Gatil Gugatto

Um  Maine Coon  polidáctil tem a prova viva visível de sua herança Maine  original  nativo.  Esta  herança  remonta  através  degerações  de  gatos,  possivelmente  300  anos  ou  mais, para os mais antigos dos Maines, quando  o gene  de  polidactilia  se entrelaçou como parte irrevogável do Maine Coon original. Purificado  por  séculos  de  seleção  natural,  Maine  Coons  polidácteis encarnam  a  prova  mais  distinta  e  visível  possível  do  longínquo  e estimado patrimônio desta raça nativa Maine Coon.

Um Maine Coon polidáctio é um “Maine Coon” em cada característica e com dedos extras. Esta palavra significa multi-dedos, e as patas de tamanhos “Extra Large” (GG) são apelidadas de patas-duplas, porque as patas são geralmente duplamente largas  em tamanho. Desta forma, eles podem andar pela neve mais facilmente. Os Maine Coos são, na maioria das vezes, chamados simplesmente polys.

A herança visível de um Maine Coon polidáctil decorre dos velhos tempos da estado do Maine, quando as famílias resistentes navegaram e se instalaram ao longo das margens. O ambiente costeiro distintamente único do Maine favoreceu as origens desta raça. Fazendas de água salgada alinhado às margens onde temos esquecido agora, que as pessoas comuns fizeram o comércio por barcos à vela. Não caminhões e gasolina. As rodovias de outrora eram os rios e o mar. Maine tem excelentes rios profundos e navegáveis. O rio Kennebec, por exemplo, é famoso por inúmeros navios construídos e lançados a partir de suas margens. As talentosas famílias marítimas do Maine e a vastidão do comércio que eram negociados são a verdadeira razão do Maine Coon. Esta raça foi desenvolvida nas regiões costeiras do Maine, especificamente como resultado dos gatos de navios que vêm para as casas das famílias que os premiavam por sua utilidade a bordo dos navios, bem como na fazenda e em torno dos cais. Os anos seguintes à Guerra Revolucionária foram provavelmente o auge do desenvolvimento do gato Maine Coon, como o estado era conhecido por seus estaleiros movimentados.

Gatos foram tão comum na orla, trabalhando como caçadores de roedores, e são ainda a ser encontrados vivendo livres na área da orla de trabalho do porto de Portland, por exemplo. Quando navios de carga de Kennebec navegaram para Boston e voltaram com madeira, tijolos e suprimentos, os gatos estavam simplesmente a bordo, para controle de roedores, e por prazer. Porto de Boston tem sido cientificamente designado o ponto de chegada nos EUA do gato polydactyl, e considerado localização dos primeiros Polydactyls na América. Era uma questão fácil para os gatos bonitos poli serem aceitos a bordo dos navios do Maine, para sorte deles, bem como algo novo para compartilhar com a família em casa. Os gatos polis dos estaleiros de Bostos se misturavam à vontade com os gatos das escunas de Maine.

Deste modo, o gene de poli foi introduzido já no pool genético no início dos primeiros Maine Coons; protegida por assim dizer, por aldeias unidas apenas pelo mar ou carroças puxadas por cavalos. Os Maine Coons foram capazes de manter a raça pura e sem diluição, e o gene do entrelaçamento com polidáctil atado às outras características, de volta à beira do rio costeiro e frio, onde a pura cepa de Maine Coon foi desenvolvida. De pelagem longa e corpos estruturados, fortes, os Maine Coons naturalmente se desenvolveram para a sobrevivência, como um gato de trabalho que as pessoas precisavam, e sua adaptação aos rigorosos invernos e ar frio do oceano, resultando em eventual reconhecimento como uma lendária raça distinta.

O Maine Coon poli é mais adeptado, e muitas vezes de forma mais inteligente, por causa do aumento da capacidade que a forma da sua patas lhes dá. Suas patas maiores lhes permitiram sobreviver em condições de sobrevivência, obrigando-os a pegar o seu próprio alimento. Alguns deles sempre sobreviveram e até hoje o dominante gene de polidactilia, continua a estar presente em uma determinada percentagem dos nativos Maine Coons. Sendo ainda visível a notável presença nas mesmas percentagens agora, como nos tempos anteriores. Pode-se estimar que no mínimo 25% dos primeiros
Maine Coons nativos teria sido polidactil, e talvez mais (possivelmente 40%, em outras literaturas relaconadas*), em alguns locais isolados e as muitas ilhas costeiras.

Assim, o gato Maine ainda cedo já se desenvolvera para o tipo tradicional e estilo ainda visto hoje nos Maine Coons. Estes primeiros gatos do Maine foram conhecidos como “gatos Maine ‘ou’ cooncat ’em meados da década de 1800 (em uma história por uma célebre autora de Maine desse período, cujo gato chamado “Polly”, cresceu junto com ela.) É claro que os gatos Maine Coons com patas comuns de 5 dedos também se desenvolviam nas mesmas ninhadas; e foram as estrelas de felinos na primeira Cat CFA Expo nos EUA, no início de 1900.

Poly Maine Coons estavam sempre presentes na raça registrada como exemplificado por Whittemore gengibre, que se acredita ser o primeiro polidáctil Maine Coon registrado (a partir de Augusta, área Maine). Os gatinhos poli anteriormente registados tornaram-se raros, porque não podiam ser mostrados em exposições. Betty Ljostadt era bem conhecido por seu apoio incondicional e afeição pelo poli Maine Coon, mas a característica da polidactilia não foi incluída no primeiro padrão da raça, por conceitos estipulados pelos clubes da época. Devido a esta omissão, quase se colocou de fora a criação profissional dos Maine Coons polidácteis. Depois da aceitação da raça Maine Coon pela CFA, CFF, ACA e CCA, a política dos clubes de gatos mantiveram a criação dos polidácteis mais apagada. A busca por grandes campeonatos tornou-se mais importante para alguns criadores do que a preservação do Maine Coon “original”, uma vez que sempre tinha sido. Com o passar dos anos, criadores ferrenhos amantes do Maine Coon polidáctil, seguiram os seus corações, e manteve-os seguindo e os perpetuando. Agora, o poli Maine Coon está em um claro ressurgimento.

Permanente prova visível da herança longa e ilustre da autenticidade dos gatos Maine Coon está incorporada em um Maine Coon polidáctil. Sempre parte da verdadeira raça, estes gatos de “pés-grandes” trazem alegria e satisfação a todos
que têm um. Um pouco de Maine em um casaco de pele de gato!

 

Escrito por: Beth
726 Roosevelt Trail – #23
Windham, ME 04062
207-893-0499

(Traduzido por: Augusto CC Nascimento)

Sobre a autora:

Uma nativa do Maine, notável autora e artista fez sua graduação em arte e literatura na Universidade de Syracuse.
Ela tem escrito vários artigos sobre esta raça única de gato. Seus artigos são publicados internacionalmente e foram traduzidos para outros idiomas desde 1990. Beth escreveu muitos dos mais conceituados artigos sobre a raça Maine Coon.

Beth é reconhecida internacionalmente como uma das maiores autoridades na raça Maine Coon, se dedicando a preservar gatos Maine Coon nativos.
Ela contribui substancialmente para a história e evolução da raça de gato Maine Coon, tópicos genéticos e artigos para  melhoramento dos gatos  Maine Coons.

WhatsApp chat